O sorriso e os bons ares franceses de Guadalupe


Forjada a partir de um abalo sísmico que aproximou duas ilhas distintas, Guadalupe tem a forma de uma borboleta com asas tortas. A asa ocidental, Basse-terre é caracterizada por sua floresta verde e picos vulcânicos, enquanto que a parte oriental, Grande-terre é um planalto calcário e árido circundado de praias.

mapa guadalupe

Mapa da ilha de Guadalupe

Os locais a chamavam de Karukera (ilha das águas belas), mas quando Cristovão Colombo passou pela sua costa a rebatizou de Santa Maria de Guadalupe em honra ao monastério espanhol. Um século e meio mais tarde os franceses recolonizaram a ilha com trabalhadores semi escravos que eram obrigados a trabalhar 3 anos para pagar a travessia do mar até chegar à ilha. Poucos acostumados ao clima tropical, estes trabalhadores não obtiveram muito resultado até a breve ocupação inglesa (1759-1763) que revolucionou o trabalho nas plantações de cana de açúcar levando a revolução até a posse definitiva da França em 1815.

A metrópole de 80.000 habitantes que concentra a maioria das construções fica em Point-a-Pitre. Ali encontra-se o porto onde chegam e partem diariamente os navios de cruzeiros e barcos e onde concentra-se a parte mais animada da cidade com muitas banquinhas de artesanatos locais feitos em madeira e produtos típicos como a canela, a nós moscada e os molhos picantes. Na Place de la Victoire está uma fila de casas coloniais repletas de varandas floridas e diversos cafés ao ar livre, além da Catedral de St. Pierre, o Marché Couvert (mercado coberto), o Museu Schoelcher, líder do movimento francês contra a escravidão e o Memorial Acte  que ocupa uma posição privilegiada de frente para o mar com uma arquitetura em ferro batido e uma exposição de tudo que está relacionado à escravidão nesta área do Caribe (um dos lugares mais impressionantes para se visitar em Guadalupe fora do circuito praias, sol e  mar), sem contar que dentro do memorial há um restaurante com uma bela vista para a baía de Guadalupe.

memorial acte

Memorial Acte

produtos guadalupe

Produtos típicos de Guadalupe

Mas o ponto alto de Guadalupe certamente são as belíssimas praias, a começar por Gosier (nome do pelicano marrom), um antigo vilarejo circundado de palmeiras, restaurantes , bares, discotecas que descem a colina em direção ao litoral estendendo-se por quilômetros na estreita praia de areia clarinha. Além de aproveitar a praia é possível pegar um barco na praia de Gosier (10 euros – ida e volta) e visitar a ilha com seu farol e sua atmosfera bem natural onde o biquíni é opcional.

gosier3

Ilha de Gosier e seu farol vistos desde a praia do vilarejo homônimo.

gosier2

Ruas coloridas e arquitetura típica de Guadalupe.

Outra opção de diversão garantida é Sainte-Anne, uma longa praia de areia branquinha com uma baía de águas turquesas, repleta de árvores, sombra e muito procurada principalmente pelas famílias (a praia fica a cerca de 30 minutos do porto e as vans cobram 15-20 dólares por pessoa ida e volta). Ela está conectada com a Praia de Caravelle onde encontra-se o Club Med La Caravelle, o resort que dispõe, além de hospedagem normal, a opção de entrada diária no seu complexo aos não hóspedes, acesso à praia privada, almoço e bebidas.

la caravelle

Praia de la Caravelle

Saint Anne

Praia de Saint-Anne

Curiosidade: os tecidos de algodão madras estão por todos os lados em Guadalupe, das toalhas aos vestidos eles sao onipresentes na cultura e tradições crioulas. O algodão de madras foi introduzido na ilha pelos trabalhadores a contrato vindos do continente indiano. Muito coloridos e a preços acessíveis, foram adotados com entusiasmo pelos ex-escravos como opção aos monótonos vestiários monocromáticos de sacos de juta. Renomadas pelo seu gosto francês, as mulheres transformam os simples tecidos em elaborados vestidos que sao usados principalmente em ocasiões festivas e grandes eventos.

O vestido tradicional contem cinco elementos que o distinguem: a camiseta branca, a saia de madras, o xale jogado nas costas e preso na cintura e o foulard de seda que cobre a cabeça. Este último é uma obra de arte e dependendo do número de pontas (bouts) podem indicar as intenções da moçoila que o usa:

vestidos

Vestidos típicos de Guadalupe.

turbante

meu turbante caribenho improvisado alla brasileira 🙂

Tête à un bout (uma ponta): indica que o coração está livre (solteira)

Tête à deux bouts (duas pontas): indica que o coração nao está livre (casada)

Tête à trois bouts (três pontas): indica que o coração está prometido, mas… (nem precisa explicar, nao é?)

Dicas de hospedagem em Guadalupe aqui.

Dicas de voos para Guadalupe aqui.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s