Uma visita rápida ao Palácio de Dioclesiano em Split


Desta vez cheguei ao coração da Dalmácia: a cidade de Split localizada na região central da Croácia e ponto de partida para conhecer as demais ilhas e belezas deste país até pouco tempo praticamente desconhecido dos meus roteiros turísticos.

A cidade em si não oferece muitas atrações, porém abriga o Palácio de Dioclesiano, está cercada pela colina de Marijan, tem praias de águas cristalinas e o seu porto comercial é o ponto de partida para visitar as ilhas de Brac, Hvar e Solta.

Praia urbana de Split a poucos minutos do palácio de Dioclesiano.

Praia urbana de Split a poucos minutos do palácio de Dioclesiano.

Palácio de Dioclesiano: só para relembrar um pouquinho da história, Dioclesiano foi um imperador romano de origem humilde que chegou ao poder através de sua carreira militar memorável. Ele nasceu na região da Dalmácia (isso mesmo, ele não era romano mas sim um Dálmata – nome dado aos que nascem nessa região) e depois de abdicar ao cargo passou seus últimos anos de vida no seu Palácio em Split.

O Palácio está cercado de muros fortificados e possui quatro portas que se abrem para os quatro ângulos das muralhas: Porta Aurea (porta de ouro) ao Norte, Porta Argentea (porta de prata) a Leste, Porta Ferera (porta de ferro) a Oeste e a Porta Aenea (porta de bronze) ao Sul que se abre diretamente em direção ao mar e permite a entrada nos apartamentos onde vivia o imperador. O Palácio está aberto para a visitação (entrada gratuita) das 09:00 às 19:00 e os visitantes podem aproveitar a visita para descobrir ruazinhas super charmosas dentro do complexo com muitas lojas de artesanatos ou simplesmente deixar o tempo passar em frente ao antigo mausoléu de Dioclesiano que hoje é a atual Catedral Sveti Dujam (entrada gratuita – aberta das 08:00 às 20:00), onde fica o simpático café Lvxor com suas simpáticas mesinhas ao pé das escadarias da catedral.

Porta do Palácio de Dioclesiano.

Porta Aenea do Palácio de Dioclesiano.

Mesinhas do bar em frente a catedral do palácio.

Mesinhas do bar em frente a catedral do palácio.

Legionários de Dioclesiano em frente ao palácio.

Legionários de Dioclesiano em frente ao palácio.

Praça dos Irmãos Radic (Trg Brace Radica): localizada atrás do Palácio Milesi com sua magnifíca arquitetura barroca onde encontra-se a estátua de bronze de Marko Marulic, pai da literatura croata no período Renascentista.

Colina de Marijan: com seus 175 metros de altura, a colina tem uma vista fantástica para a Baía des Kastel e a ilha de Brac. A colina foi transformada em parque no Século XX e hoje é o local favorito dos moradores locais para um passeio aos Domingos.

Ilha de Brac: localizada a uma hora de barco de Split, esta ilha é um paraíso natural repleta de ciprestes e renomada por suas estradas de cálcareo branco que serviram notavelmente à construção do Palácio de Dioclesiano. Supetar ao Norte é a parte mais povoada da ilha onde ficam a maioria dos hotéis e restaurantes e ainda conserva o charme do seu pequeno porto de pescadores. Em Nerezisca no centro da ilha fica a igreja barroca de Sveta Marija (Santa maria) e a 35Km de Supetar está Vidora Gora, o ponto mais alto da ilha onde encontramos as longas praias de Bol e de Zlatni Rat, esta última considerada uma das melhores para a prática de esportes de vela.

Ilha de Hvar: localizada a duas horas barco de Split, esta ilha montanhosa se estende por cerca de 82km e está repleta de baías, vinhedos, plantações de oliveiras e lavandas e florestas de pinheiros. O vilarejo antigo que se encontra em uma das baías da ilha abriga a Catedral Le Sveti Stjepan que reúne em sua arquitetura o estilo barroco e renascentista com seu campanário e o Hotel Palace, o primeiro a ser inaugurado na ilha em 1868. Muito além de sua beleza, Hvar é também o reduto de jovens em busca de festas e baladas nos meses quentes de verão e nas discotecas …..que a festa rola solta até o sol raiar.

Você Sabia que: A Dalmácia é a pátria dos Dálmatas, os simpáticos cachorros que Walt Disney transformou em heróis no desenho animado ‘101 Dálmatas’. Na época das guerras contra os turcos, os dálmatas eram fantasiados para afugentar os cavalos diante da linha de batalha e desorganizar a cavaleria otomana. Estes dálmatas são figuras carimbadas nos brasões das antigas famílias croatas e ainda hoje são motivo de orgulho para seus proprietários que os deixam fotografar.

dalmata

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s