As cores e sabores de São Luiz


Há muitos anos eu tinha uma curiosidade enorme em desbravar a capital maranhense e de quebra conhecer os famosos lençois que ficam a apenas 250 quilômetros da capital. Assim sendo, neste mês de junho tive a oportunidade de programar uma breve passagem de 4 dias pela região e conhecer a história e as paisagens deste pedacinho do Brasil justo em um período repleto de festas juninas e Bumba meu Boi.

São Luiz é a capital do estado e desde 1997 carrega o título de Patrimônio Histórico da Humanidade pela UNESCO com seu centro histórico de cerca de 220 hectares tombados por seu conjunto arquitetônico colonial português.

13499991_1208221959191081_1048514990_o

Casas com fachadas em estilo colonial português

Antes mesmo da chegada dos portugueses em 1615 com sua arquitetura colonial que utilizava azulejos na impermeabilização das fachadas para proteger as construções do clima quente e úmido, os franceses foram os primeiros a chegar naquelas bandas em 1612 em um projeto arrojado chamado de França Equatorial sob o comando de Daniel de la Touche e seus 3 navios com cerca de 500 homens que com a ajuda dos índios tupinambás construíram o primeiro forte entre os rios Anil e Bacanga.

A cidade ainda viria a ser invadida pelos holandeses em 1644 quando parte da muralha construída pelos franceses foi destruída e somente no Séc XVII a cidade voltou a se desenvolver sob o domínio português em torno à fortaleza onde hoje encontra-se o Grand Hotel São Luiz.

hotel sao luiz

Este fatores históricos marcaram profundamente a história de São Luiz que ainda hoje carrega em suas avenidas os nomes de Daniel de La Touche, dos portugueses e dos africanos que tiveram um papel importantíssimo na formação cultural da cidade. No período colonial a burguesia ergueu seus palacetes com o trabalho escravo dos africanos que deixaram seu suor impressos nestas obras que perduram nos séculos como herança colonial que carrega muito mais que um simples azulejo português ou francês.

Centro Histórico

São Luiz é chamada de a capital dos azulejos e geralmente os visitantes que chegam pela primeira vez ao centro histórico reagem com uma certa indignação em relação à falta de conservação de muitos edifícios que afinal de contas fazem parte do atrativo principal da cidade, porém vale lembrar que a manutenção deste patrimônio envolve um investimento bastante grande e a maioria dos azulejos presentes nos edifícios nem sequer existem mais, além do clima quente e úmido ser um dos grandes agravantes na conservação destes edifícios e casas.

arraial

Centro Histórico de São Luiz preparado para as festas juninas

casas

Edifícios do Centro Histórico de São Luiz

azulejos portugueses

Detalhe dos azulejos portugueses utilizados nas construções : quatro pequenos azulejos para formar um mosaico perfeito.

Outro grande atrativo da cidade são os tradicionais arraiás juninos com apresentações de grupos folclóricos do Bumba meu boi (registrado como patrimônio cultural do Brasil pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), que numa mistura de dança, teatro e circo contam a lenda de um casal de escravos, Pai Francisco e Mãe Catirina. Grávida, Catirina começa a ter desejos por língua de boi. Para atender suas vontades, seu marido tem de matar o boi mais bonito de seu senhor. Percebendo a morte do animal, o dono da fazenda convoca curandeiros e pajés para ressuscitá-lo. Quando o boi volta à vida, toda a comunidade celebra.

arraiasl centro historico

13493300_1208225465857397_1673238686_o

Adereços da festa do Bumba meu Boi

Cada ano os arraiás são montados em locais pré-estabelecidos pela prefeitura da cidade e duram quase todos o mês de junho, portanto se estiver visitante o estado neste periodo fique de olho na programação.

Catedral da Sé

A atual catedral de São Luiz foi uma antiga igreja jesuíta construída a partir de 1690 pelos índios e pela Companhia de Jesus e era dedicada a Nossa Senhora da Luz. Com a expulsão dos jesuítas do Brasil em 1759 os bens da companhia de Jesus passaram à coroa de Portugal e sofreu uma reforma que alterou totalmente sua forma arquitetônica.

catedral2

Catedral da Sé de São Luiz

Ao entrarmos na catedral o que mais chama a atenção é o teto elaborado por João de Deus e a mão de obra indígena em tons de azul que retratam o espírito santo e levou quase 27 anos para ficar pronto. No entanto, a maior riqueza e destaque da Catedral fica por conta do altar-mor em talha dourada do século XVII que foi tombado pelo IPHAN em 1954, o altar secundário à direita que exibe o símbolo maçônico do Santo Graal (quando a catedral foi reformada o então rei de Portugal D. Pedro II que era maçom exigiu que a catedral incluísse um altar para a maçonaria), além do altar secundário à esquerda que guarda um exemplar de uma santa em madeira onde era de costume esconder minérios para não pagara impostos (a mais conhecida santa do pau oco). Em anexo à catedral fica o Museu de Arte Sacra (R$ 5,00 entrada).

teto

Teto da Catedral da Sé de São Luiz

catedral

Altar secundário com símbolos maçonicos

 

catedral3

Altar Secundário com santa do pau oco

Convento das Mercês

O edifício que já abrigou desde seminário a corpo de bombeiros hoje recebe artefatos em exposição como a cópia da primeira constituição do país, além de dois automóveis entre outros presentes pertencentes ao ex-presidente Jose Sarney. A entrada no convento é gratuito e o patio ao ar livre oferece uma bela vista do centro histórico da cidade.

Palácio dos Leões

Quando os franceses fundaram a cidade em 1612 construíram uma Fortaleza com vista para o mar para proteger-se dos invasores, esta depois de alguns anos foi tomada pelos portugueses, remodelada e hoje abriga o Governo da cidade.

Teatro Arthur Azevedo

O segundo mais antigo teatro do país ficou abandonado por cerca de 30 anos até ser restaurado em 2005 e hoje abriga grandes peças e espetáculos nacionais e internacionais. Ele fica a poucos metros do Largo do Carmo, uma pequena praça onde aconteceu um dos mais importantes fatos históricos maranhenses: a batalha entre holandeses e portugueses, em 1643.

teatro

Teatro Arthur Azevedo

Casa das Tulhas (Feira de Praia Grande)

No coração do centro histórico é possível encontrar em um casarão do Séc XIX transformado em feira com diversos quiosques repletos de sabores do maranhão, a começar pelo guaraná Jesus, um expoente da região com seu gostinho de tutti-frutti com leve toque de canela, a tiquira ou tequila (aguardente de mandioca) além dos pescados, camarões secos, panelas de ferro e alumínio e artesantos típicos do estado.

mercado

Camarões secos na Casa de Tulhas

guarana-jesus-com-exclusividad

Onde comer: o restaurante Senac que fica bem perto da Catedral da Sé uma ótima pedida, principalmente para quem deseja provar a culinária local e frutos do mar (buffet livre custa R$ 55,00 e inclui o tradicional arroz de cuxá da culinária maranhense entre outras delicias). Já o Cafofinho da Tia Dica é outra opção bem no coração dos centro histórico com opções de cardápio de comidas regionais.

restaurante senac

Restaurante Senac São Luiz

13514309_1208251359188141_925591211_n

Onde se hospedar: apesar de ter praias bem movimentadas como a de Calhau, Olho d´água, Caolho, etc com diversas barracas a beira mar, a cidade reserva mesmo muitas descobertas em seu centro histórico, por isso recomendo a hospedagem no Grand Hotel São Luiz que fica muito bem localizado ao lado da Catedral e a poucos passos dos principais atrativos (táxi rodoviária-aeroporto ao centro custa em torno de R$ 35-40).

Post relacionado: o paraíso dos lençóis maranhenses

Anúncios

Uma resposta para “As cores e sabores de São Luiz

  1. Pingback: O paraíso dos lençóis maranhenses | Cantinho da Viagem·

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s