Os bons ares do sul do Chile


E depois de alguns dias de muitas paisagens surreais e de ter realizado o sonho de conhecer o Salar de Uyuni era chegado o momento de seguir viagem, o voo de Calama para Santiago durou menos de uma hora e um dia de repouso em Santiago foi mais que suficiente para experimentar um ceviche no Pátio Bella Vista e seguir feliz e contente para a próxima etapa da aventura: conhecer Puerto Montt que fica a cerca de 1.45hs de voo ao sul do Chile. Ao chegar no aeroporto de Puerto Montt comprei logo a passagem do ônibus que leva até o centro da cidade (2.500 pesos chilenos, lembrando que os bilhetes devem ser comprados ainda na área de desembarque onde estão as bagagens) e em poucos minutos lá estava em frente ao porto da cidade que mais parece um vilarejo de pescadores abandonado em um canto perdido no gelado sul do continente. A não ser que você seja um grande fã dos pratos a base de salmão e a proximidade com o mar, a estadia em Puerto Montt é desnecessária, isso porque a 15 minutos dali (transporte coletivo a 800 pesos chilenos) encontra-se Puerto Varas, o jet set dos visitantes que vem para estas bandas a procura das melhores paisagens no mais completo estilo baváro.

Sabe aquele cartão postal com uma cidade a beira do lago Llanquehue com o vulcão Osorno ao fundo e uma igrejinha no alto do monte? Pois esta é Puerto Varas, um pedacinho do paraíso que apesar de frio reserva muitas surpresas, a começar pela Casa Fischer, um B&B administrado por um casal super simpático que transformou sua própria casa no alto do monte em um cantinho aconchegante com uma vista sensacional do vulcão e do lago, ali no calor da lareira acesa todas as noite é possível fazer amizades, conversar e programar os passeios nos arredores da cidade, além é claro de testar os dotes culinários em uma cozinha exclusiva para os hóspedes.

puerto varas

Vista do alto de Puerto Varas

Puerto Varas não chega a ser um grande centro turístico, mas é o lugar ideal para quem procura sossego e não se importa em subir e descer ladeiras e caminhar ou pedalar ao redor do lago ou simplesmente degustar um delicioso café ou chocolate quente em um dos cafés com uma vista maravilhosa.

hotel cumbres

Hotel Cumbres em Puerto Varas

casa fischer.jpg

Casa Fischer

cozinha Casa Fischer

Cozinha dos hóspedes na Casa Fischer

arte em Puerto

Casa artística à beira do lago em Puerto Varas.

E depois de uma conversa rápida com o Sr. Fischer que abriu o mapa do tesouro e mostrou as melhores opções de passeios era o momento de pegar a van coletiva e seguir até Frutillar (1.000 pesos chilenos) uma cidadezinha charmosa a cerca de 45 minutos de Puerto Varas que também carrega uma grande influência dos imigrantes alemães que colonizaram a região em meados do Século XIX.

Frutillar

Diversão no lago em Frutillar mesmo com a água gelada.

O nome Frutillar vem de frutilla que significa morango em espanhol e assim nada mais justo que ao passar pela cidade o visitante se dê ao luxo de provar umas das tortas no mais tradicional estilo alemão em um dos restaurantes à beira do lago.

arquitetura Frutillar

Arquitetura de Frutillar

lago Frutillar

Vista do vulcão Osorno

Outro atrativo muito importante em Frutillar é o Teatro del lago com sua estrutura arquitetônica em madeira que se destaca junto à paisagem natural dos vulcões Osorno e Calbuco como pano de fundo. O Teatro abriga as Semanas Musicales, o maior evento de música do país, e bem próximo a ele junto à orla do lago é possível respirar um certo ar musical e até mesmo inspirar-se em um piano ao ar livre.

teatro.jpg

Teatro del Lago em Frutillar

Frutillar musica

Tentando ser artista em Frutillar.

No segundo dia em Puerto Varas o tempo não estava lá estas coisas e a neblina encobria a paisagem do vulcão Osorno, por isso a melhor opção do dia foi a visita aos Saltos de Petrohue que ficam no Parque Nacional Vicente Perez Rosales a cerca de 60 quilomêtros de Puerto Varas. Para se chegar aos Saltos dá para alugar um carro ou ir de van coletiva a qual passa no centro de Puerto Varas e já de quebra no caminho para chegar aos saltos é possível aproveitar a paisagem que tem sempre o vulcão Osorno em destaque.

Saltos Petrohue

Saltos de Petrohue

A visita ao parque dos saltos Petrohue é gratuita e através das passarelas ao longo do rio é possível caminhar pelos saltos de cor esmeralda e embrenhar-se em meio ao verde. Há também opções de passeios de barco para conhecer os saltos mais de perto, porém naquele dia o lago não estava para peixe e o frio não era muito convidativo para entrar na água.

petrohue

Petrohue barcos

Passeio de Barco em Petrohue

No último dia em Puerto Varas o intuito era ver os pinguins em seu habitat natural em Chiloé (passeio de dia inteiro – 25.000 pesos chilenos), no entanto a agência de viagens não tinha o passeio para aquele dia e foi então que veio a brilhante ideia de fazer o percurso todo de ônibus, táxi e até mesmo a pé se fosse preciso. Foi então que começou a saga divertida que incluiu uma van coletiva de Puerto Varas- Rodoviária de Puerto Montt (800 pesos chilenos), ônibus Puerto Montt-Ancud (4.000 pesos chilenos), táxi Ancud-Baía de Puñihuil (35.000 pesos chilenos) e finalmente o passeio de barco para a ilha dos pinguins (7.000 pesos chilenos). A viagem em si para chegar até Ancud foi bem tranquila, mas o problema maior foi ao chegar lá quando a única opção do dia seria um táxi para chegar até a Baía de Puñihuil (local de onde partem os barcos para avistar os pinguins de Magalhães, vindos da Patagônia, e os pinguins de Humboldt que chegam da costa peruana e chilena).

taxi maluco

Até o Elvis dançou na aventura com o taxista maluco em Chiloé.

O taxista era muito doido, fazia ultrapassagens perigosas e não avisou que para fazer o passeio é preciso reservar o barco com antecedência ou corre-se o risco de não conseguir lugar. E foi quase isso que aconteceu, chegamos nas pinguineras (nome que os locais deram à baía de onde partem os barcos) por volta das 13hs e por sorte ainda conseguimos um lugar no barco das 17hs (última saída-, diga-se de passagem). Como tinha tempo sobrando pedi ao maluco do taxista para fazer um passeio pelos arredores e ele de bom coração foi até uma praia distante e fez uma parada num pequeno museu marinho que a julgar pelo abandono não recebia visitantes a mais de uma década.

praia Chiloe

Paisagem de Chiloé

praia 2

Praia em Chiloé

museu.jpg

Museu marinho com o esqueleto de uma baleia em Chiloé

chilolitos.jpg

Ao lado do museu havia esta casa de artesanato com os simpáticos chilolitos da sorte    (colares de pinguins feitos de tricô).

Apesar destes pequenos contratempos gostei muito da paisagem e o dia estava maravilhoso, ensolarado e propício para visitar o grande atrativo do dia: os simpáticos pinguins. O passeio começa na beira mar quando um carrinho vem até a beira da praia buscar os visitantes e levá-los confortavelmente até dentro do barco sem ao menos molhar os pés. Em seguida o barco parte para uma pequena ilha onde concentram-se milhares de pinguins, aves e até leões marinhos que podem ser avistados bem de pertinho nos rochedos em um passeio que dura cerca de 40 minutos. Segundo o guia que nos acompanhou, a melhor época para avista-los vai de setembro a março, período este em que eles permanecem na ilha para acasalamento e reprodução.

pinguineras2.jpg

Uma das agências que vende os passeios de barco na Baía de Puñihuil

eu.jpg

Pronta para começar o passeio até a ilha dos pinguins

pinguineras

Transporte rápido e seguro até o barco do passeio

pinguins.jpg

Pinguins e leões marinhos dividem o mesmo rochedo

pinguins

Colônia de Pinguins em Chiloé

O arquipélago de Chiloé vai muito além do atrativo dos pinguins, ele é constituído por cerca de 30 ilhas sendo as comunas de Castro e Ancud as maiores e ponto de partida para os visitantes. Nas ilhas, em meio a uma paisagem rústica e rural, encontramos um conjunto de igrejas construídas durante as missões jesuíticas e franciscanas no arquipélago que são reconhecidas pela Unesco como Patrimônio Mundial da Humanidade por suas características arquitetônicas.

igrejas.jpg

E depois de um dia repleto de aventuras e descobertas era chegada a hora de fazer todo o percurso de volta à Puerto Varas e voltar ao aconchego da Casa Fischer para a última noite antes de voltar para casa com as imagens deste pedacinho do paraíso gravadas eternamente na mente.

Anúncios

Uma resposta para “Os bons ares do sul do Chile

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s