Os tesouros de Kiev na Ucrânia


O cantinho da viagem esteve recentemente visitando a cidade de Kiev na Ucrânia e vamos mostrar aqui um pouquinho dos encantos deste destino que muitas vezes nem sequer figura nos itinerários de viagem dos brasileiros, talvez pela dificuldade do idioma, as recentes crises políticas na região ou até mesmo de divulgação das belezas deste país que certamente merece uns dias de destaque em sua próxima viagem.

O nome Kiev parece derivar de Kyi, um dos fundadores lendários da cidade (juntamente com seus irmãos Schek e Khoryv), é a capital e maior cidade da Ucrânia, localizada na região centro-norte do país, às margens do rio Dnieper, este que por sua vez é um dos principais pontos de referência da cidade e um dos locais mais apreciados pelos locais que nos meses de primavera e verão lotam suas margens para aproveitar os dias ensolarados em passeios super animados, bares, atividades esportivas e horas de descanso nas margens de suas areias artificiais.

Calçadão à beira do Rio Dnieper

A cidade que tem as quatro estações do ano bem definidas é uma das mais econômicas da Europa, possui um sistema de transporte público (ônibus e metrôs) muito eficiente e vale a pena ser visitada durante todo o ano, principalmente porque em cada estação as tonalidades da paisagem mudam totalmente. A moeda utilizada no país é a Hryvnia, lê-se Grívnia (1 euro = 30 UAH) e o russo e ucraniano são as línguas oficiais (vale lembrar que estas duas línguas são diferentes entre si e a maioria dos ucrânianos costumam falar ambas, porém os turistas devem ter um pouco de paciência porque assim como no Brasil não é comum encontrar pessoas que falam inglês pelas ruas).

A primeira impressão ao chegar em Kiev em pleno mês de Outubro foi de muito frio, isso porque a temperatura nesta epoca gira em torno de 0-5 graus Celsius e só mesmo usando um casaco bem quentinho com capuz e luvas para não congelar nas longas caminhadas ao ar livre.

Depois de se acostumar com a temperatura a sensação que tive foi de muita tranquilidade e silêncio, isso mesmo, apesar de estar em uma grande capital tudo parece muito pacato e as pessoas com seus olhares resilientes vão e vem sem sequer fazer barulho. Talvez pelos longos anos de guerras e constantes revoluções, os ucranianos parecem viver um período de incertezas e até mesmo descrentes em relação ao futuro do próprio país, no entanto continuam seus afazeres com simpatia e seriedade e zelam pela cidade que é muito limpa, segura e repleta de atrativos histórico-culturais.

E não há como falar em Ucrânia sem deixar de citar o famoso Taras Shevchenko (1814-1861) – grande poeta, escritor, pintor, gráfico e ativista social. Sem o génio de Shevchenko, que dedicou a sua vida à luta contra a escravidão do povo ucraniano, não haveria uma Ucrânia Independente e nem mesmo o idioma ucraniano moderno. Não é a toa que ele tem monumento e dá nome à praças, ruas e estações de metrô em Kiev.

E falando em atrativos não há como deixar de citar os principais pontos de interesse aos visitantes, a começar pela Catedral Santa Sofia, a mais antiga igreja de Kiev, construída em 1037 pelo Príncipe Yaroslav, o Sábio, no local da vitória dos Kieves Rus sob os Pechenegs (tribo nômade asiática) para a glória do cristianismo tem seu santuário de 13 cúpolas majestosas e seu interior rico em afrescos e mosaicos, muitos deles intactos ao longo de milhares de anos, como um expoente sagrado da religião ortodoxa, além de ter sido centro politico e cultural abrigando várias reuniões com diplomatas, além da primeira biblioteca e escola em Kiev.

img_0496

Catedral da Assunção do alto da Torre Azure

img_0490

Vista do Complexo da Catedral de Santa Sofia

A Torre Azure com o Sino Branco no alto dos seus 76 metros foram concluídos em 1752 e podem ser visitados diariamente (ingresso 40 UAH), ela fica em frente à belíssima Catedral da Assunção que foi destruída durante a segunda guerra e reconstruída somente em 2000. Além da catedral e da torre, é possível visitar também o Mosteiro das Cavernas (Pechersk Lower Lavra – Pechersk que na língua eslava significa cavernas e Lavra é usado para descrever um ranking de monastérios ortodoxos do Leste) com suas estreitas passagens subterrâneas que levam aos jazigos dos monges ortodoxos conservados mumificados. A entrada nas cavernas é gratuita, não é permitido fotografar, mulheres devem cobrir a cabeça com um lenço e a maioria das pessoas compra uma vela na entrada para iluminar a passagem pelas galerias que são bem escuras.

img_0494

Torre Azure e o Sino Branco

img_0499

Fiéis no caminho para as cavernas dos monges

E depois de visitar este impressionante complexo arquitetônico fica fácil entender porque ele é protegido pela Ucrânia e também recebe apoio da UNESCO, simplesmente um patrimônio a ser preservado.

A poucos metros da Catedral Santa Sofia encontra-se também a estátua em aço com 62 metros de altura erguida em homenagem ao povo e aos soldados ucranianos mortos durante a guerra chamada Rodina Mat (Estátua da Mãe-Pátria). Na entrada do grande complexo há vários painéis de cimentos em tons escuros que representam o sofrimento do povo, além de um museu ao ar livre com exemplares de tanques e artefatos usados na guerra.

E para os apaixonados por futebol nada mais justo que uma visita ao Estádio Olímpico de Kiev, o complexo que foi renomeado em 1996 como “Olympic National Sports Complex” é atualmente a casa do Dinamo de Kiev, um dos maiores clubes do país e abriga grandes eventos como shows de Madonna. O estádio fica numa área bem central a poucos metros da estação de metrô Olimpiiska.

Outro atrativo de peso é a Maidan Nezalezhnosti, a praça central de Kiev e o coração da cidade, local de encontro e protestos dos moradores com seus vários edifícios, jardins, monumentos e muitos restaurantes de comidas tradicionais ucrânianas e bem próximo dela o Monumento do Arco-Iris dedicado à unificação da Rússia e Ucrania durante a União Soviética dentro do Parque Cross (Хрещатий) do lado direito do rio Dnieper com vista para a Ponte do Parque, uma ponte de pedestres que conecta a cidade à Ilha Trukhaniv. Ao lado do arco há opções de passeios de tiroleza que levam até a ilha do outro lado do rio ou seguindo à esquerda do monumento, após uma pequena subida encontramos o Parque Marrinski que abriga alguns monumentos que remetem à epoca soviética como a estátua em homenagem ao cinema russo, um heliporto, um palco para apresentações ao ar livre, um estádio de futebol em meio às árvores e o imperdível Monumento ao Amor Eterno, uma homenagem eterna a Luigi (italiano) e Mokryna (ucraniana), um casal que se conheceu em um campo de guerra austríaco e só se reencontraram 60 anos depois em um canal de Tv internacional para revelar ao mundo que o amor conquista distâncias, tempo e os horrores da guerra. Ao lado do monumento há uma ponte onde os casais deixam seus votos de amor eterno em mensagens inscritas no chão e em cadeados.

img_0508

Praça Maidan Nezalezhnosti

Monumento Arco-Íris

Palco cultural no Parque Mariinski

Heliporto com vista para o Rio

Tiroleza do Parque à Ilha

Estátua em homenagem ao cinema

Ponte do Amor no Parque Mariinski

História do Monumento ao Amor

E como nem só de monumentos vive a humanidade, não poderia deixar de falltar uma visita à loja de Doces e Chocolates Roshen, porque se você pensa que os melhores chocolates são feitos na Bélgica e na Suiça, saiba que em Kiev é possível entrar em um mundo repleto de guloseimas deliciosas e experimentar diversos sabores de chocolates, além de tortas maravilhosas que são tradicionais e produzidas unicamente na cidade. A marca mais famosa de chocolates do país chama-se Roshen (uma clara homenagem ao proprietário da marca, o bilionário empresário e atual presidente do país Petro Poroshenko). Uma visita à loja da Roshen no centro de Kiev é programa obrigatório para os amantes de chocolates (não deixe de provar o chocolate com gergelim que é uma tentação). Os supermercados da cidade também estão repletos de guloseimas vendidas por quilo e não vai ser nada difícil encher as malas com estas tentações.

Loja de doces Roshen no centro de Kiev

Um dos restaurantes tradicionais na Praça Maidan

Pratos tradicionais da esquerda para a direita: fígado empanado, sopa borsh, pães com ervas, suco de beterraba e vareniki.

Dicas para sua viagem:

  • Brasileiros não precisam de visto para visitas a turismo na Ucrânia para permanência de até 30 dias, basta chegar no aeroporto, carimbar o passaporte e aproveitar a estadia no país.
  • Troque sua moeda por Hryvnia no aeroporto, mas somente o suficiente para as primeiras despesas. A taxa de câmbio no centro da cidade é muito mais conveniente e você pode ainda sacar dinheiro nos caixas eletrônicos.
  • A melhor forma de chegar ao centro da cidade a partir do aeroporto de Borispol é com um táxi, eles estão disponíveis já na saída do aeroporto e a dica é negociar o preço com antecedência porque eles não utilizam taxímetro.
  • A cidade possui diversas opções de hotéis como o Ibis, Radisson, além de pensões e albergues mais econômicos, no entanto lembre-se que é muito mais fácil encontrar funcionários que falam inglês em hotéis de rede internacional.
  • Os restaurantes da cidade são muito baratos (em torno de 5 euros para 2 pessoas) e dispõe de pratos deliciosos da culinária local que são vendidos em porções. Basta escolher as porções e pagar no caixa.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s