Neuschwanstein: o castelo dos sonhos e delírios de um rei!!!


Neste final de semana, inspirada pelo clima quente e pelos últimos raios solares do verão no Hemisfério Norte, decidi visitar o famoso Castelo de Neuschwanstein (em alemão, Schloss Neuschwanstein) que foi construído na metade do século XIX por Luis II da Baviera, inspirado na obra do grande compositor Richard Wagner.

O Castelo encontra-se nas proximidades das cidades de Fussen e Hohenschwangau, a cerca de 2 horas de trem de Munique e, além de ser um dos atrativos mais fotografados da Alemanha, foi a fonte inspiradora para a construção do “Castelo da Bela Adormecida” na Disney e faz parte da Rota Romântica, um caminho de 350 quilômetros entre as cidades de Würzburg e Füssen.


Em alemão a palavra Schwan significa cisne e o nome do castelo vem de uma referência  ao “cavaleiro do cisne” da Opera Lohengrin de Wagner.

O castelo está cercado de boatos, entre eles o de que o rei Luiz II da Bavária era apaixonado por Wagner e que teria tido um caso com um dos seus criados, no entanto o que se vê ao visitar o castelo é uma beleza rica em detalhes e cheia de modernidade para a época na qual ele foi construído. Só para se ter uma ideia, o castelo possuía energia a vapor e elétrica, telefone, ventilação, canalização de aquecimento e na suíte principal do rei encontra-se uma cama entalhada na madeira com um sanitário secreto (a água do sanitário provinha de um aqueduto) com uma bacia d’água corrente em forma de cisne. Pra dizer a verdade o nome deste castelo não podia ser outro, pois em todos os cantos é possível encontrar os cisnes em diversos formatos e pinturas e até mesmo nos jarros de flores, os quais foram presentes da princesa Sissi ao seu primo e confidente rei Luiz II da Bavária.

Digamos que o rei foi um dos grandes precursores da modernidade na vida publica dos bávaros, mas apesar de ter gasto toda a sua fortuna na construção do castelo, viveu poucos anos nele e não teve a oportunidade de vê-lo concluído, pois em 1886 ele foi declarado insano e poucos meses depois foi encontrado afogado juntamente com o psiquiatra que o certificou em águas superficiais do Lago Starnberger. Não se sabe ao certo o que ocorreu em sua morte, mas as evidências confirmam que o rei consumia uma certa quantidade de ópio todos os dias, tanto que ele recriou em um dos cômodos do castelo uma verdadeira gruta com um jardim e uma cascata onde ele passava algumas horas para purificar o ar dos pulmões depois de tanto consumir a droga.

Dizem que antes de morrer o rei pediu para que as portas do castelo fossem fechadas a visitação após a sua morte, o que felizmente não ocorreu, justamente porque o castelo atrai milhares de turistas todos os anos e é simplesmente impossível não se impressionar com a paisagem em que ele foi construído em meio a um vale no alto da montanha, além do que o castelo precisa de recursos financeiros para manter a sua estrutura.

O castelo neste momento passa por uma reforma e algumas partes internas estão fechadas, no entanto as visitas ainda podem ser realizadas mediante o acompanhamento de um guia local (inglês, alemão ou com áudio em diversos idiomas, inclusive português).

Depois de visitar o interior do castelo, a melhor pedida é caminhar até a vizinha Marienbrucke (Ponte de Maria), assim chamada em homenagem a Maria da Prússia, onde tem-se a melhor vista para fotografá-lo.

Bem, agora que os aspectos históricos e as curiosidades já formam devidamente esclarecidas vamos as dicas de como chegar ao castelo e o que fazer:

1. A partir de Munique pegue um trem até a cidade de Fussen (o preço do bilhete varia de acordo com o número de pessoas viajando, no meu caso paguei 12 euros ida e volta até Hohenschwangau).

2. Apos chegar em Fussen há 3 opções para se chegar ao castelo: a pé (não aconselhável pois a distância é de 5 Km), alugar uma bicicleta (somente se for primavera ou verão) ou de ônibus (o valor do bilhete já está incluso no Bayern ticket desde Munique, mas para quem vem de outras localidades o bilhete custa 6 euros ida e volta – e a parada do ônibus fica em frente a estação ferroviária de Fussen).

3. O complexo de Hochschwangau inclui o Castelo Neuschwanstein, o Castelo de Hochschwangau e o Museu de Bayern (a visitação nos 3 custa 28 euros, mas se você quiser visitar somente um deles custa 12 euros/cada).

4. Na entrada do complexo fica o centro de informações turísticas com mapas gratuitos do circuito que pode ser feito a pé, de bicicleta ou também de charrete até o Castelo de Neuschwanstein (se for primavera ou verão eu recomendo subir a pé e curtir a paisagem que é simplesmente maravilhosa, cercada pela natureza e ainda se você tiver sorte como eu tive vai poder nadar nas águas do lago depois de visitar os castelos e ainda tomar uma cerveja em um Biegarten).

5. Se a sua intenção é visitar o Castelo Neuschwanstein, o Castelo de Hochschwangau e o Museu de Bayern vai ter que chegar bem cedo para ter tempo de aproveitar tudo, pois as visitas tem horário marcado e se você perder o horário que esta indicado no seu bilhete simplesmente perde a visita (há painéis na entrada dos atrativos que indicam o número do bilhete e o horário que as visitas iniciam) .

6. Não deixe de jeito nenhum de ir até a ponte Marienbrücke, pois é de lá que se tem a melhor vista do castelo de Neuschwanstein e onde qualquer foto parece ser um verdadeiro cartão postal, além disso se você estiver viajando com seu grande amor aproveite para carimbar sua passagem por esta maravilha do mundo com um cadeado com seus nomes gravados, assim como vários casais já o fizeram!

7. Ao ver os postais do castelo no outono, na primavera e no inverno, a impressão é de que ele nunca perde seu charme, portanto não importa quando você vai visitá-lo, pois com certeza vai se surpreender com sua beleza. Agora se estiver por aqui no verão não deixe de ficar pelo menos 2 dias hospedado nos arredores de Fussen e aproveite para conhecer as pousadas típicas da Bavária e as belezas deste lugar naturalmente encantador, além de perder-se pelas trilhas e caminhos com sua bicicleta (o meio mais prático, saudável e econômico de conhecer a região por inteiro). E, caso queira passar mais tempo aos pés do castelo de Neuschwanstein pode optar em hospedar-se dentro do próprio complexo no Schloss Hotel Lisl & Jagerhaus!!!

Bem, depois de um dia inteiro nos arredores de Fussen e uma visita ao castelo, voltei a Munique bastante cansada mas com a certeza que os devaneios de um rei podem tornar-se verdadeiros sonhos para milhares de crianças e adultos, nesta e em outras gerações.

Quer receber mais dicas de viagem?

Então curta nossa página no Facebook.

Siga o @turisnews no Twitter.

Não seja egoísta, compartilhe com seus amigos!

Anúncios

5 Respostas para “Neuschwanstein: o castelo dos sonhos e delírios de um rei!!!

  1. Eu recomendo para quem está com mais de 2 até 5 pessoas o Bayern Ticket, custa 29 euros para até 5 pessoas, uma forma economica de conhecer a Bavaria.

    Outro ponto é que o rei foi exumado escondido a alguns anos atras e desobriram que ele foi assassinado com um tiro. Afinal ele sabia nadar como ninguém, ele ia ao lago praticamente todos os dias.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s