Bilbao, do campo ao seu museu de titânio


Imagine uma pequena propriedade, repleta de pequenos pontinhos brancos que mais parecem flocos de algodão, ao longo de uma pastagem verdinha e uma paisagem bucólica. Pois esta é a imagem encontrada nas regiões rurais de Alava, Vizcaya, Guipuzcoa e Navarra , ao norte da Espanha, na região autônoma Basca, onde o exótico Queijo Idiazabal é produzido a partir do leite das ovelhinhas que por ali vivem tranquilamente.

As ovelhinhas são animais de pequeno porte, da raça Latxa, e produzem uma pequena quantidade de leite ao dia, por isso o queijo daquela região é também chamado de Queijo Pastor, um produto artesanal, elaborado com o leite produzido exclusivamente nas pequenas propriedades rurais. A produção dos queijos segue alguns princípios de proteção ambiental em defesa do pastoreio nestas áreas rurais, atraindo a atenção de grandes Chefes de cozinha e tornando-se uma opção turística para quem visita a região.

O queijo Idiazabal entrou na seleta lista de ingredientes da alta gastronomia com o famoso Chef Catalão Ferran Adrià, que já criou alguns pratos utilizando a saborosa iguaria.

Além da produção de queijos, a região de Vizcaya destaca-se pela beleza da cidade de Bilbao, fundada a mais de 700 anos pelo nobre homem Don Diego Lopez de Haro. Apesar da sua idade, Bilbao obteve uma grande notoriedade mundial somente no final dos anos 90 com a inauguração do maravilhoso Museu Guggenheim, uma notável estrutura ondulada revestida de titânio e projetada por Frank Gehry.

Infelizmente visitei a cidade numa segunda-feira e o museu estava fechado, no entanto a arquitetura externa já valeu a pena, sem contar a estátua do simpático cachorrinho coberto de flores que dá as boas vindas aos visitantes. Ali nas proximidades do Museu, a beira do rio Nervion, encontra-se a Ponte de Calatrava (o mesmo arquiteto que projetou a Puente de la Mujer em Puerto Madero – Buenos Aires), a qual faz parte de uma revitalização da cidade interna de Bilbao.

A poucos passos dali encontra-se a Catedral de Santiago, com sua belíssima torre neo-gótica, provavelmente um dos edifícios mais antigos da cidade e, ponto de convergência das principais ruas da cidade. Cultura e arte a parte, estava eu andando por aquelas ruas quando avistei uma barraquinha de sorvetes e não pude resistir, afinal de contas os sorvetes espanhóis tem um toque muito especial, com vários sabores deliciosos e uma casquinha crocante, simplesmente não resisti e me deixei levar pelo !Viva la vida!

Depois de caminhar pelas ruas do centro antigo, almoçar um filete de ternera com batatas fritas e limonada, meus olhos não conseguiram permanecer abertos, foi então que aderi à tradicional siesta espanhola: uma sonequinha para repor as energias, continuar a viagem e entrar no clima de um dos países mais guapo da Europa.

Quer receber mais dicas de viagem?

Então curta nossa página no Facebook.

Siga o @turisnews no Twitter.

Não seja egoísta, compartilhe com seus amigos!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s