Os protestos e os encantos de Hong Kong


Depois de passar uns dias em Macau, atravessei o mar de barco em uma viagem que dura cerca de 1 hora e lá estava em Hong Kong, uma cidade cosmopolita, lotada de gente e arranha-céus. Os ferries TurboJET saem do terminal marítimo de Macau durante o dia inteiro, a cada 15 minutos e de madrugada os horários são de hora em hora (bilhetes custam de HK$ 148 a HK$ 184, de acordo com o dia da semana e o horário e podem ser comprados diretamente do terminal de Macau).

Eu já ouvi muito falar que na China as pessoas moram em apartamentos minúsculos e então ao ler sobre o Mini Hotel Hong Kong fiquei interessada em provar como é viver, nem que seja apenas por 2 dias, em um espaço tão pequeno. O hotel fica muito bem localizado a poucas quadras da estação Hong Kong que tem ligação direta com o aeroporto e o metro para chegar em qualquer parte da cidade rapidinho e os quartos, apesar de pequenos, comportam muito bem uma ou duas pessoas que só querem mesmo descansar depois de tanto bater perna pela cidade.

Entrada do Mini Hotel

Entrada do Mini Hotel com direito a pianista

Mini quarto em um mini hotel.

Mini quarto em um mini hotel.

No primeiro dia na cidade aproveitei para conhecer a famosa Rua dos Artistas (descer estação Tsim Sha Tsui East) que fica à beira mar com uma vista privilegiada da baía de Hong Kong e ainda conta com a calçada da fama com nomes de artistas importantes chineses como Jack Chang e Bruce Lee.

Vista da Baía de Hong Kong desde a Rua dos Artistas

Vista da Baía de Hong Kong desde a Rua dos Artistas

Calçada da fama de Bruce Lee

Calçada da fama com estrela de Bruce Lee

O metro de Hong Kong é uma história a parte, milhares de pessoas pelos corredores intermináveis das estações centrais e um cartão chamado Octupus que custa HK$ 150,00 e vai debitando suas passagens pelo metrô e ônibus da cidade e ainda é reembolsado no final caso você não utilize todo o dinheiro. Com ele dá pra visitar os principais pontos turísticos da cidade, bem como ir aos principais shoppings como o Ladies Market (estação Mong Kok) onde é possível encontrar milhares de marcas de cosméticos e perfumes e a ilha de Lantau.

Outro atrativo da cidade que muitos juram ser um dos melhores são os espetáculos de luzes (Symphony of Lights) realizados todos os dias às 20:00 quando vários prédios da cidade se iluminam e um dos melhores lugares para ver a atração seria o alto do prédio Sky100 (estação Kowloon – entrada HK$ 160,00) o setimo predio mais alto do mundo. Vou ser sincera em dizer que me decepcionei com o espetáculo, pois durou cerca de 15 minutos e não sei se o tempo estava nublado demais ou o que, mas o que vi foi a cidade iluminada como outra qualquer e uns flashes de luzes tentando escapar no céu. Apesar disso a vista lá de cima do SKY 100 é maravilhosa e vale super a pena, principalmente para ver a a zona portuária da cidade com os navios atracados e os milhares de arranha-céus ao seu redor.

IMG_4072

Vista do porto de Hong Kong do alto do Sky 100

Vista do porto de Hong Kong do alto do Sky 100

A estação Kowloon tem saída direta para o shopping Elements onde fica a entrada do Sky 100 e milhares de lojas e restaurantes.

A estação Kowloon tem saída direta para o shopping Elements onde fica a entrada do Sky 100 e milhares de lojas e restaurantes.

Neste dia ainda aproveitei para provar o tradicional Dim Sum, que em cantones, significa “tocar o coração”. Este bolinhos brancos recheados com camarões ou carne de porco são super saborosos, servidos em caixinhas de vime e sempre vem acompanhados por chá . Entrei em uma das galerias próximas à estação Hong Kong e no segundo andar estava o Restaurante Majestic lotado de chineses e suas mesas cheias das mais variadas iguarias. Em cima da mesa ficam os pedidos escritos em mandarim e inglês e basta apenas fazer um X na opções escolhida que o garçom passa pegar o pedido e o traz acompanhado pelo chá (nao precisa nem pedir).

Menu de pedidos

Menu de pedidos

Dim Sum na Disney de Hong Kong

Dim Sum na Disney de Hong Kong

E já que eu gosto muito de Dim Sum, no segundo dia fui visitar a Ilha de Lantau para comer mais alguns e ainda conhecer a maior estátua de Buda ao ar livre da Asia e a Disneylandia que ficam a poucos minutos de Hong Kong.

O templo budista Po Lin Monastery e o Tian Tan Buddha (do Buda) podem ser visitados diariamente e para chegar até lá, siga de metrô pela linha amarela MTR Tung Chung até a estação Tung Chung, depois continue o trajeto de teleférico Ngong Ping 360 (ingresso HK$ 150). Esse teleférico é o mais longo da Ásia (longest bi-cable ropeway). São quase 6km percorridos em um passeio de 25 minutos. Ao desembarcar do teleférico, siga caminhando por cerca de 10 minutos até o Buda Gigante. O Grande Buda tem 34 metros de altura e simboliza a harmonia do homem com a natureza. A mão direita elevada representa a sua benção a todos os visitantes. Chegue cedo antes das 09:00 para pegar os primeiros teleféricos e evitar as filas gigantes de grupos chineses e além disso sentir o burburinho da natureza no caminho quando dá até pra ouvir os pássaros.

A visita do Buda e dos monastérios não dura mais que 2 horas, basta subir até o alto dos 200 graus do Buda para ter uma vista panoramica do complexo e nem perca seu tempo buscando coisas originais na pequena vila logo na saída do teleférico porque ali vai encontrar Starbucks e gelateria italiana.

Caminho do teleférico com opções de trilhas por terra.

Caminho do teleférico com opções de trilhas por terra.

Escadarias para chegar ao Buda Gigante

Escadarias para chegar ao Buda Gigante

Casa de chá na entrada do Monastério

Casa de chá na entrada do Monastério

Uma boa dica é visitar o Buda e voltar para estação de metro para conhecer a Disneylandia. Para isso, pegue o teleférico de volta, embarque novamente no metrô Tung Chun e desça na estação Sunny Bay onde passa a linha lilás – Disneyland Resort Line que leva diretamente à entrada do parque.

Estação

Estação Sunny Bay em pleno domingo

Detalhe do metro que leva para a Disney.

Detalhe do metro que leva para a Disney.

O parque da Disney em Hong Kong está dividido em cinco áreas: Main Street, USATomorrowland;FantasylandAdventureland e Toy Story Land. Na Main Street ocorrem os desfile dos personagens da Disney chamado de Flights of Fantasy Parade às 15h30 e às 20h00 encerramento com  queima de fogos perto do castelo da Cinderela – Disney in the Stars Fireworks: Spleeping Beauty Castle.

O valor do ingresso para um único dia é HD$ 499,00 e apesar de o parque não ser muito grande, vale super a pena passar meio dia brincando e se divertindo com os personagens da Disney e entrar no mundo da magia.

Entrada do parque com o Castelo da Cinderela ao fundo.

Entrada do parque com o Castelo da Cinderela ao fundo.

Tico e Teco fazendo a festa no parque.

Tico e Teco fazendo a festa no parque.

Simpatia do Pluto

Simpatia do Pluto

Desfile na Main Street.

Desfile na Main Street.

Small World, meu favorito.

Small World, meu favorito.

Depois de dois dias já era hora de partir para o aeroporto e como sempre a agilidade na cidade é imbatível.  O metro Airport Express, que sai das estações Hong Kong e Kowloon Station leva 20 minutos até o aeroporto, custa apenas HD$ 100,00 e se estiver viajando em 2 pessoas cai para HK$ 160,00, além disso dá pra despachar as malas na própria estação com muita facilidade. Depois disso dá até para acreditar que estamos em um país de primeiro mundo se não fossem as manifestações que vi próximo à estação Admirably.

Protestos nas ruas de Hong Kong.

Protestos nas ruas de Hong Kong.

As manifestações iniciaram-se em Setembro com um pequeno grupo de pessoas e foi crescendo com a adesão de estudantes que lutam contra as injustiças sociais desta região autonoma chinesa que enfrenta sérios problemas de desigualdade de condições de trabalho, problemas de moradia, relações familiares empobrecidas e políticas públicas desfavoráveis. Basta olhar para os lados para sentir que toda esta tecnologia e riqueza tem um preço bem alto para os pobres chineses que ali vivem.

Próxima parada: Chiang Mai

Quer receber mais dicas de viagem?

Então curta nossa página no Facebook.

Siga o @turisnews no Twitter.

Não seja egoísta, compartilhe com seus amigos!

http://ocioso.com.br/troca-de-links/tag/id/2aSQKTh2LOmsO7wM-FrbAl3Ib7ahLZLPprEo1vFPENFBmNwPMtdF8C3OtnUCYXqAu3v4uxkfe7LwKWDTviGSpsdQBKHjFDNhfjn_PWMIS5y8SZl0__UcJffPwJpRzGd61xlCtaQV3Y4P3dBVgHmvou_kDt1gNivES5btuINGSEi0Hhm8Bm69KHknZO4FKZEpNJY974uzhhULx8iIuEC4xM_UEkCV17kkHuSdIaE9jn1QSaawqEKriRM3BuW0qWEb|J4CvX5rnbjhyG6J76LSBM0Ea4sSftZOWCpQ0cDw3d0M=

Anúncios

2 Respostas para “Os protestos e os encantos de Hong Kong

  1. Pingback: A última flor do Lácio em Macau | VIAGENS PELO MUNDO·

  2. Pingback: O que leva uma pessoa a ir pra Ásia?! | VIAGENS PELO MUNDO·

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s