Conto de uma Veneza eterna


Hoje pela manhã recebi uma ligação muito importante de uma pessoa que sempre foi e será iluminada em minha vida. Esta ligação me fez lembrar de momentos de viagens inesquecíveis e também inusitados que esta vida nos proporciona, talvez com o toque suave das mãos de Deus.

Naquele momento lembrei do dia em que eu estava navegando pelos mares da Grécia e minha amiga Luiza me escreveu um e-mail dizendo que estaria me esperando no Domingo em Veneza para passarmos algumas horas juntas durante o meu período de tempo livre na cidade. O e-mail chegou numa quarta-feira a tarde e naquela mesma madrugada ocorreu um fato bastante inquietante, pois o navio que eu viajava teve uma pane em um dos motores e tivemos que cancelar a escala nos demais portos e seguir diretamente para Veneza onde, se tudo desse certo, chegaríamos no final na tarde de Domingo e teríamos que ficar parados no porto por pelo menos uma semana até consertar o navio.

Quando eu soube da notícia fiquei preocupada, tentei avisar a minha amiga por e-mail, mas ela já tinha saído do Brasil e não consegui mais falar com ela nos dias seguintes da viagem.

No Domingo pela manhã lá estava a Luiza no porto de Veneza logo cedinho esperando a chegada do meu navio, mas como estávamos com problemas só chegamos a tarde e ela continuou no cais esperando até o nosso grande reencontro.

Dizer que aquilo foi um acaso do destino seria pouco, pois mais uma vez o destino estava nos presenteando com a oportunidade de viver alguns dias em Veneza e aproveitar o calor e a emoção que somente a cidade eterna poderia oferecer.

Já que o navio não poderia sair dali nos próximos sete dias, aproveitamos para caminhar pela vielas de Veneza, para fazer piqueniques no parque próximo a Praça de Roma com direito a salada caprese e para dar gargalhadas e lembrar mais uma vez das nossas aventuras pela Itália, as quais haviam começado em Roma alguns anos antes.

E o que eu tenho a dizer sobre Veneza? Bem, se eu pudesse escolher uma cidade símbolo na Itália eu certamente a escolheria, simplesmente porque ela é única, singular, mutável e mesmo os corações mais relutantes certamente se apaixonam por sua atmosfera, seus canais, suas cores e sua história surpreendente.

Sentar em um restaurante a beira de um canal e saborear um prato de fettucine, beber um vinho, tomar um sorvete, perder-se pelas vielas, tirar fotos que mais parecem cartões postais (independente do ângulo), brincar com as mascaras de carnaval, ver os casais passeando ou até mesmo passear de gôndola ou simplesmente pegar um vaporetto e cruzar o Grand Canal e o Canal della Giudecca em meio aos palácios e casas encravadas no meio da lagoa veneziana ou ver a revoada de pombos na Piazza San Marco e visitar o Palácio Ducale e a Ponte dos Suspiros, certamente não tem preço e talvez palavras não sejam suficientes para descrever a sensação de fazer tudo isso.

Já estive em Veneza milhares de vezes e nunca encontrei a mesma cidade, pois ela muda de acordo com a pessoa que te acompanha, com a temperatura e por que não dizer de acordo com o seu humor e sua expectativa.

Apesar disso, não se preocupe porque Veneza não decepciona, ela une as almas das pessoas que sabem reconhecer os seus em meio a beleza e eternidade da vida.

PIAZZA SAN MARCO: a praça é maravilhosa e bem conservada, em frente à Basílica di San Marco já foi palco de cortejos, procissões e encontros políticos, é o point onde todo mundo se encontra, nos cafés com mesinhas ao ar livre, música ao vivo, cheia de pombos e onde acontece o Carnaval. Rodeada também pela  Torre do Relógio, Campanile, o Museu Correr entre outras atrações. A vista do alto do Campanile é deslumbrante.

BASILICA DI SAN MARCO: tem arquitetura bizantina e foi construída para abrigar a relíquia de San Marco. Possui uma maravilhosa  coleção de 8.000 m2 de mosaicos nas paredes, que vem sendo restauradas por temores, danificações, desde o séc. XVIII.

TORRE DELL’OROLOGIO: mostra as fases da lua e os signos do zodíaco, representados em azul e dourado no grande relógio e foi construída no final do séc. XV. Uma lenda conta que após os inventores  terminarem a obra tiveram seus olhos arrancados para que não fizessem novamente o projeto. No alto está a figura do leão alado de San Marco, símbolo da cidade.

PALAZZO DUCALE: ou Palácio dos Doges. No séc. IX foi residência dos governantes de Veneza, chamados de doges e sede do governo. De arquitetura gótica, é lindo e o  corpo principal do palácio é todo em mármore rosa de Verona.

GALLERIA DELL’ACADEMIA: com a  maior coleção de arte veneziana do Renascimento, (séc. XIV à  XVIII) podemos apreciar obras enormes de grandes mestres italianos, como Veronese, Tintoretto, Bellini, Ticiano, Carpaccio, etc. Lá se encontra a enorme tela de Veronesi: “Festa na Casa de Levi” (1573), que foi originalmente encomendada pra ser a “Santa Ceia” pela Igreja e teve que ter seu título alterado por ser considerada  profana com bêbados, anões, macacos, papagaios, etc. Então Veronese foi intimado a pintar outra versão gigante sem estes detalhes; a “Santa Ceia”, está exposta no Louvre, na Grande Galeria, (na mesma sala do lado oposto à  Monalisa. Não perca os desenhos de Leonardo da Vinci! Ingressos: € 6,50 e € 3,25. Aberta às 2ª s das 8:15 à 14h e 3ª à dom. das 8:15 às 19:15h. (Campo della Carità, Dorsoduro n.1050)

PONTE DOS SUSPIROS: construída no séc. XVI, a Ponte dei Suspiri  liga o edifício do Palazzo Ducale  ao da Nuova Prigioni (“Prisão Nova”), da qual é separado por um canal. Ao passar por ela era a última visão que os prisioneiros tinham de Veneza antes de irem à julgamento e  morrer.

PONTE RIALTO: um dos cartões postais mais famosos de Veneza, da ponte se avista o Grande Canal e é um dos  marcos da cidade.

GRAND CANAL: um cruzeiro pelo Grande Canal é emocionante, parece um filme. (Há apenas 3 pontes : Degli Scalzi, Ponte di Rialto e a Ponte de l’Accademia.)Tente ir no final da tarde para pegar o pôr-do-sol  e ver um espetáculo inesquecível! Pegue o Vaporetto 1 das mais importantes estações: Piazzale Roma/Ferrovia (estação de trem) ou Piazza San Marco.

PASSEIO DE GONDOLA: Há não muito tempo atrás, os passeios de gôndola em Veneza eram o exercício perfeito do romantismo. O belo cenário e os bem preparados gondoleiros – sempre com boas histórias para contar e alguns com surpreendentes dotes como cantores, contribuíram em muito para tornar esses barcos numa espécie de símbolo da cidade e o passeio pelos canais uma atração obrigatória. Mas os tempos são outros. Por apenas 40 minutos de navegação e com o perigo de ter que ouvir serenatas fajutas pagam-se nada módicos 80 euros. Se for embarcar nessa, repare na riqueza de detalhes da embarcação: a proa desprumada, o apoio dos remos talhado em uma única peça de madeira e os pequenos adornos que a pontilham. Procure sempre profissionais credenciados, entre eles os que ficam nos arredores da Ponte Rialto e da Piazza San Marco. Há meia dúzia de trajetos básicos, passando ora pelo Grand Canal, ora por estreitos canais em bairros internos, o que pode causar um pouco de congestionamento.

ILHA DE MURANO: localizada menos de 2 quilômetros ao norte de Veneza – acessível por vaporetto –, é célebre pelos trabalhos artísticos em vidro. Gente dos quatro cantos do mundo desembarca em aqui atrás dos copos, luminárias, enfeites, penduricalhos e outros objetos forjados com os coloridos cristais locais. Além de se fartarem nas lojas especializadas, os visitantes podem conhecer fábricas e até um museu dedicado aos vidros, com mais de 4 mil itens em exposição (Museo dell’Arte Vetraria, Fondamenta Giustinian, 8, 041/739-586; 2ªa/3ª e 5ª/dom, 10h/18h). O acesso via Veneza é feito pelas companhias públicas de transporte. Partidas da plataforma de San Michele.

RESTAURANTES EM VENEZA

ACIUGHETA: além de ter saborosas “redondas” e outras delícias italianas no cardápio (como polpettine e crostine), o Aciugheta conta com alguns dos melhores vinhos da região, que podem ser degustados por taça, garrafa inteira ou meia. Castello, 4357 – Tel:+39 (41) 522-4292

AURORA CAFFE: durante o dia funciona como café e associação cultural que promove música, cinema e artes plásticas. À noite, é um bar concorrido entre os locais descolados, animado por DJs de estilos variados. Piazza San Marco, 48 – +39 (41) 528-6405

CAFFE FLORIAN: entre os mais tradicionais da Europa, é difícil concorrer com ele no item localização: Piazza San Marco. Fundado em 1720, o que faz dele a mais antiga cafeteria da Itália, é tão icônico e visitado quanto a Basílica di San Marco. De suas mesas ao ar livre, famosos e turistas comuns curtem o visual enquanto saboreiam um vero espresso (expresso verdadeiro).O Florian mantém o luxo em seu interior, dividido em várias salas, batizadas com nomes simbólicos: Sala degli Uomini Illustri (Sala dos homens ilustres), Sala del Senato (Sala do Senado) e Sala degli Specchi (sala dos espelhos), entre outras. Uma orquestra permanente se encarrega do fundo musical. Seus preços estão à altura de seu status. Piazza San Marco 56,59 – Tel.:+39 (041) 5205641

GRAND CAFFE QUADRI: uma instituição veneziana, o Quadri é dividido em três estabelecimentos que salvam a vida de qualquer turista. Na parte térrea, com várias mesinhas estendendo-se pela Piazza San Marco está o Grancaffè oferece lanches rápidos e bebidas. A €6 o expresso e €11 o suco da laranja tudo soa opressivo, mas vale pela vista. As focaccias, o set de café da manhã e alguns outros sanduiches são alguns dos favoritos. Já o requintado Ristorante Quadri oferece menus-degustação de cinco pratos e duas sobremesas a €200, com direito a carpaccio, ravioli e sorbetto. Bem elaborados risotos, filés e peixes são alguns dos destaques do menu a la carte. Convém fazer reserva. Para bolsos um pouco menos favorecidos, mas apetite para bons pratos, o abc oferece pratos a preços mais módicos — mas não exatamente baratos. Não erre pedindo receitas básicas como steak tartar com fritas ou um peixe-frito à veneziana. Piazza San Marco 121 – Tel.: +39 (41) 5222105

Post relacionado: Only us em Positano

Quer receber mais dicas de viagem?

Então curta nossa página no Facebook.

Siga o @turisnews no Twitter.

Não seja egoísta, compartilhe com seus amigos!

Anúncios

3 Respostas para “Conto de uma Veneza eterna

  1. E, eu, Luiza, só posso corroborar com tamanha perfeição de descrição de Veneza. è sempre um lugar que devemos colocar na lista dos lugares mais saborosos em todos os sentidos. Voltar e voltar e voltar tantas quantas vezes nos forem peritido. Contos e encontros, sabores e sensações, imagens, máscaras e a pureza natural dos personagens que circulam pela laguna.
    Encontro você lá Claudia e muito vinho e novas histórias e personagens nos esperam. Bjssssssssssssssss

  2. Pingback: Only us em Positano… « VIAGENS PELO MUNDO·

  3. Pingback: Os segredos do Valentine’s Day (dia dos namorados) | VIAGENS PELO MUNDO·

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s